ELO News faz homenagem ao Dia do Operador

ELO News faz homenagem ao Dia do Operador

Reunimos histórias de cinco profissionais apaixonados pelo trabalho que exercem com muitos fatos curiosos relacionados à profissão

 

Comemorado no dia 29 de maio, o Dia do Operador de Máquinas homenageia uma profissão cheia de desafios. Para conduzir o equipamento, é necessário ter habilidade e muita atenção. “Além da preocupação com a segurança de outros trabalhadores, um cuidado importante se refere à carga. Como deslocam materiais de clientes ou fornecedores, é preciso atenção para não causar avarias nos itens, evitar prejuízos e também garantir as boas condições de funcionamento do equipamento manuseado”, descreve Jair Mazucatto, Supervisor de Serviços da Sotreq.

 

Para celebrar a data, ELO News conversou com alguns operadores de máquinas para ouvir suas boas histórias na profissão. Confira!

 

Rubens Barbosa

Operador de Empilhadeira na filial da Sotreq localizada em Sumaré (SP), Barbosa começou sua carreira na empresa em 2001 e, desde então, une carisma e engajamento com as responsabilidades exigidas pela área de atuação. “Tenho muito orgulho de ter 27 anos dedicados como operador de empilhadeira, sendo que 17 deles foram aqui na Sotreq”, afirma Barbosa.

 

“Entendo que no mundo moderno e da tecnologia em evolução constante nem todos os jovens optam pela área, inclusive, essa fatia do mercado às vezes tem mão de obra escassa, mas aqueles que estão dispostos a seguir carreira precisam se apaixonar pela profissão e buscar qualificação por meio de cursos específicos”, recomenda.

 

Janito Paulino Filho

O operador conta que a profissão é cheia de desafios. Morador de São Gotardo (MG), certa vez teve que resgatar um ônibus que caiu no rio da cidade. “Em um primeiro momento, tentaram retirar o veículo da água com um Pá Carregadeira Cat® 924H, mas não foi possível. Então, me ligaram pedindo reforço”, conta.

 

O socorro chegou com uma Retroescavadeira Cat® 416E. Enquanto levantava o ônibus, a carregadeira puxava-o. Assim, com alguma dificuldade, conseguiram tirar o veículo do rio. Naquele momento, as pessoas começaram a aplaudir. A emoção tomou conta do rapaz, que bateu com a mão na lança do equipamento, deu um beijo e disse: “Aqui é Cat®, meu amigo!”. E os aplausos continuaram.  

 

Gerivaldo Firmino da Silva

Dizem que a primeira vez é sempre complicada, seja para o que for. Sem nunca ter operado uma máquina, Silva recebeu a oportunidade em uma situação inusitada: o colega, que estava na cabine fazendo o trabalho, teve que atender outra solicitação.

 

A mando do patrão, ele então assumiu o controle do equipamento. “Fiquei um pouco assustado, mas feliz, pois nunca tinha operado uma máquina e comecei logo com uma Cat®”, lembra. A história aconteceu em 1999 com uma Pá Carregadeira Cat® 966C. Assim, deu início a sua carreira de operador.

 

Warley Costa Pinheiro

Um operador de máquinas sempre tem boas histórias para contar. Morador de Ananindeua (PA), certa vez presenciou uma cena digna de um filme de ação: um guindaste atolou enquanto trabalhava em uma obra. Esses equipamentos, em geral, são caros. “Tirá-lo dali não seria tarefa fácil”, pensou.

 

Mas não foi bem assim. Com a ajuda de uma Escavadeira Elétrica Cat®, removeu o guindaste com precisão e tranquilidade. Sorte da empresa, que pôde contar com Pinheiro e um equipamento de alta qualidade. “A equipe ficou aliviada. Devido à gravidade da situação, havia possibilidade de grandes avarias”, lembra.

 

Marcos de Oliveira Silva

Apaixonado pela profissão de operador de máquinas e pelos equipamentos Cat®, tatuou uma Pá Carregadeira Cat® 950H na costela. “Essa tatuagem levou três horas para ser feita”, conta.

 

“Na primeira vez que trabalhei com um equipamento Cat®, eu me apaixonei pela força, pela agilidade e por ser uma máquina que aguenta qualquer tipo de tarefa e que corresponde a minha forma de trabalho”, elogia.