Hyster-Yale comemora 60 anos no Brasil

Hyster-Yale comemora 60 anos no Brasil

Grupo acompanhou o cenário político e econômico do Brasil, além do avanço tecnológico; atualmente possui fábrica em Itu (SP) e escritório em Alphaville (SP)

 

Apesar dos momentos de turbulência política e econômica que o Brasil enfrentou nos últimos anos, algumas empresas conseguiram se estabelecer no País e firmar uma trajetória de sucesso. Caso da Hyster-Yale Group, uma das principais fabricantes de equipamentos voltados ao transporte de materiais do mundo. Em 2017, completa 60 anos de atuação no mercado brasileiro, parceria que começou no fim da década de 1950.

 

Como homenagem, o grupo lançou um selo comemorativo que traz, ao mesmo tempo, os conceitos “robustez” e “inovação”, marcas registradas da Hyster-Yale. O objetivo é transmitir a mensagem de união entre as empresas, com total solidez.

 

“São 60 anos fornecendo às empresas brasileiras não só equipamentos que facilitam o dia a dia dessas companhias, mas também, e principalmente, projetos personalizados, com assistência de uma equipe focada e alinhada às necessidades de cada cliente”, comenta Raphael Cardoso, Diretor de Marketing e Vendas da Hyster-Yale do Brasil.

 

Para Cardoso, manter-se firme durante seis décadas, ainda mais em um mercado competitivo, mostra solidez, fidelidade, conquista e compromisso com uma entrega de qualidade da empresa ao longo dos anos.

 

“Nosso grupo se consolidou ao longo desses 60 anos, a companhia se transformou, se modernizou, assim como o Brasil que abriu suas fronteiras para a globalização”, afirma.

 

Próximos anos

Para o futuro, Cardoso explica que o grupo tem muito a percorrer e que a Hyster-Yale quer continuar contribuindo para o crescimento do País, principalmente nas áreas de logística e, consequentemente, de movimentação de materiais.

 

“Atualmente, nosso maior desafio é quebrar paradigmas e conseguir fornecer não apenas equipamentos, mas soluções integradas que atendam às necessidades de nossos clientes”, comenta.

 

Hoje, a Hyster-Yale Group conta com mais de seis mil funcionários no mundo e chegou a um faturamento de US$ 2,6 bilhões no ano passado. No Brasil, possui fábrica em Itu (SP) e um escritório em Alphaville (SP). A rede de atendimento cobre 100% do território nacional.

 

Uma vida na empresa

Há 45 anos na Hyster-Yale, Helio Takuo Hiroi passou por diferentes momentos e cargos. Iniciou sua trajetória aos 21 anos como Projetista de Produtos. Em seguida, promovido para Projetista de Produtos Sênior e, atualmente, ocupa a função de Supervisor de Projetos – Engenharia de Produto. “Minhas atividades estão voltadas principalmente para Aplicações e Produtos Especiais”, conta.

 

Nesse período, acompanhou de perto a evolução tecnológica e o impacto dela em sua carreira. “Passamos dos processos manuais e analógicos para os atuais, quase totalmente informatizados e digitais”, analisa.

 

Nas décadas de 1980 e 1990, por exemplo, o Brasil fechou a fronteira para as importações. Na época, Hiroi relembra que tinham de desenvolver os produtos com todos os componentes nacionais, utilizando o know how da matriz por meio de desenhos, registros, estrutura dos produtos e documentos que recebiam via correio. “Isso fez com que o Brasil fosse a única planta da Hyster-Yale no mundo com departamento de Engenharia de Produto”.

 

Foi nesse momento que a empresa desenvolveu os modelos de empilhadeiras H40-60K, H60-90J, H110-150J, H220A, H360-700E e os guindastes K110A e K220A. “Esses projetos me proporcionaram a base de todo o meu conhecimento técnico”, atesta o Supervisor de Projetos.

 

Para Hiroi, trabalhar na Hyster-Yale representa a própria vida. “Estar na área de Aplicações era um dos meus principais objetivos, pois é onde posso aplicar tudo o que aprendi e continuar a me desenvolver”.

 

O profissional ainda destaca os grandes colegas que teve (e os que ainda tem) durante esse tempo na empresa. “Eles são responsáveis pelo meu desenvolvimento profissional, passando os conhecimentos diretamente ou me apoiando em todos os momentos que eu necessitei”, finaliza.